Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Liberdade aos 42

Liberdade aos 42

20
Nov19

Paisagens de Portugal...


Para quem conhece a minha Paixão por fotografia de Natureza, não será difícil imaginar o quanto fiquei Feliz e entusiasmada com o desafio que a  Equipa lançou a esta Extraordinária Comunidade de sapinhos...

Muito Obrigada à Equipa SAPO Blogs por (mais) esta Maravilhosa ideia... confesso que me tenho deliciado com as magnifícas imagens partilhadas, que me têm permitido conhecer inúmeros recantos mágicos deste nosso Belo País...

Para os mais distraídos, que não sabem a que me refiro... não percam mais tempo e descubram tudo aqui.

Aproveito para partilhar, convosco, mais algumas imagens do Meu Algarve...

 

Cabanas de Tavira.JPGCabanas de Tavira

 

Ria de alvorRia de Alvor (manhã de nevoeiro)

 

Algar seco.JPGAlgar Seco_Carvoeiro

 

Ferragudo.JPGFerragudo_Lagoa

 

serenidade....JPGSítio do Vidigal_Portimão

 

Ria de Alvor....JPGRia de Alvor

 

Neblina matinal....JPG

Ria de Alvor (manhã de nevoeiro)

 

Tavira_CM.JPGTavira

 

MC.JPGMonte Clérigo

 

SagresSagres

 

Farol_CSV.JPGCabo de São Vicente_Sagres

 

Tvr_PRTavira_Ponte Romana

 

19
Nov19

Fotografia de Natureza...


Sendo, eu, uma apaixonada (absolutamente assumida) pela Natureza e por fotografia de Natureza... não resisti a partilhar convosco as fotografias finalistas do concurso Nature Photographer of the Year .

O grande vencedor (fotógrafo de Natureza do ano) foi Csaba Daroczi, com esta fotografia absolutamente maravilhosa...

C09_76362_Black-and-white_winner_Overall-winner_Ju

 

Mas não resisto a destacar outra fotografia, que me deslumbrou, vencedora na categoria Juventude, da autoria de Giacomo Redaelli.

C11_60109_Youth_winner.jpg

 

Agora, que já vos agucei o apetite, não percam mais tempo... visitem NPOY 2019 e deliciem-se com as restantes imagens...

 

15
Nov19

A Liberdade de... cheia


Uma das muitas queridas e lidas bloggers do nosso cantinho, franqueou-me as portas do seu espaço  “Liberdade aos 42”, para escrever sobre a liberdade.

Muito me honra o seu convite. Mas, a responsabilidade é muito grande, porque o tema é muito apaixonante.

Muito Obrigado!   

 

A liberdade

A liberdade é a mais fascinante flor

De tão delicada que é, muitas vezes, temos medo de a perder

De tão complexa que é, não a sabemos entender 

É uma faca de dois gumes: a minha liberdade acaba, onde a sua liberdade começa

Uma fronteira, cujo limite é difícil de ver

Vale a pena, tentarmos aprender a vivê-la

Porque, mesmo que pensemos, dela, tudo, saber

Gastamos a vida, sem a conseguir compreender

Para uns, uma coisa natural, para outros, ainda, inacessível

Ao ponto de não lhes ser permitido, uma licença de condução, obter

Para não desfiar o imenso rol de coisas que não podemos fazer

Por causa de vivermos em liberdade, ou por falta dela

Suponho que, depois da vida, é a coisa mais importante

Ao longo dos séculos, sempre, se lutou por ela

Houve, há, haverá, sempre, quem dê a vida por ela

Há alguém que tenha nascido, em liberdade, que saiba como era, sem ela?

Não! Não há ninguém que consiga imaginar, como era

É, por isso, que não sei falar dela, e, continuarei, todos os dias, a aprender a utilizá-la

Nasci e vivi anos, sem ela, sem poder dizer o que pensava, com medo de quem me escutava

No cinema, no teatro, nos livros, nos jornais não sabíamos o que tinha sido produzido

Porque tudo nos chegava, censurado, cortado, amputado, quando não era totalmente proibido

Quem tinha possibilidades ia ao estrangeiro ver as peças de teatro e os filmes, sem cortes

Principalmente, a Paris ou Londres

O primeiro filme, que vi, sem censura, só depois do 25 de Abril, foi: “ Último Tango em Paris”

Liberdade, minha amada, minha fada, minha eterna namorada, todos os dias, peço para nunca mais me faltares!

Agradeço a todos os que, tanto lutaram e aos que lutaram até à morte, para verem a liberdade

Mas, infelizmente, não tiveram a imensa alegria de a ver nascer.

 

Texto da autoria de: cheia

 

14
Nov19

É dentro de nós que a Magia acontece...


O erro é procurar fora... porque é, sempre, dentro de nós que a Magia acontece!!!

É quando nos permitimos fazer diferente... mudar o foco... arriscar... enveredar por caminhos desconhecidos... desbravar novos trilhos, sem coordenadas definidas... que ousamos aproximar-nos da nossa essência, do que nos define, do que nos dá chão...  

 

trilho.JPG

Rumo ao desconhecido...

 

13
Nov19

Matar saudades do Alentejo: Serpa...


A viagem decorreu de forma tranquila, entre sorrisos e gargalhadas...

Como não me cabia a responsabilidade de conduzir, deixei-me deslumbrar pela beleza da paisagem envolvente e permiti que o pensamento vagueasse livremente... 

 

e_cv.JPGobservando a planície...

 

c_a.JPGapreciando as rosas...

 

guadiana....JPGcontemplando o Guadiana...

 

Um par de horas depois... eis-nos em Serpa...

Estava uma manhã bastante agradável, aquecida pelo Sol que brilhava radiante...

 

folhas.JPGenquanto as folhas douradas dançavam ao sabor da brisa, que soprava ligeira... 

 

Por entre estreitas ruelas...

ruela....JPG

 

Caminhámos até ao castelo...

Srp_2.JPG

 

 ... para contemplar esta bela e acolhedora cidade alentejana...

Srp_1.JPG

 

S_d_C.JPG

 

11
Nov19

Sobre o S. Martinho...


"É na data do seu enterro, três dias depois de ter morrido em Candes, que se comemora o dia que lhe é dedicado. Acredita-se que, na véspera e no dia das comemorações, o tempo melhora e o sol aparece. O acontecimento é conhecido pelo “verão de São Martinho” e é muitas vezes associado à conhecida lenda de São Martinho." (in, Observador)

Reza a Lenda que, num dia frio e chuvoso, enquanto seguia montado a cavalo, Martinho encontrou um mendigo na beira da estrada, a tremer de frio e, sem dispor de qualquer agasalho para lhe dar, pegou na espada e cortou o seu manto ao meio, cobrindo-o com uma das partes. Mais adiante, encontrou outro mendigo, a quem ofereceu a outra metade do manto e prosseguiu viagem, sem agasalho que o protegesse do frio e, de acordo com a Lenda, nesse momento, a chuva parou, as nuvens negras desapareceram dando lugar ao sol, e o bom tempo prolongou-se por três dias.

Existem muitas tradições grastronómicas associadas ao S. Martinho, que passam pelo consumo de castanhas, água-pé e jeropiga. (Mas é, também, tempo de bolotas, medronhos, marmelos, romãs, dióspiros)...

Uma excelente oportunidade para experimentarem receitas da vizinhançacoxas de frango assado com castanhas, sugestão da Margarida mousse de castanhassugestão da Ana.

Feliz Dia de S. Martinho e Bom apetite!