Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Liberdade aos 42

Liberdade aos 42

31
Jan20

A Liberdade de... Rute Justino


A minha Liberdade

Sempre fui muito liberal, gosto de ter o meu próprio espaço.

Sempre dei muita importância e valor à liberdade!

 

Das coisas melhores que podemos ter na vida sem qualquer duvida!

 

Para mim a liberdade de expressão tem uma tremenda importância, se eu não consegui-se ter essa liberdade acredito que o meu chakra da garganta rebentaria num instante!

 

Sou liberal em tudo o que faço..

Gosto de ter a liberdade de tomar as minhas decisões e escolhas.

 

E um dia mesmo que muito me custe vou ter que dar essa liberdade também aos meus filhos...

Pois a vida é mesmo assim.. e ainda bem que o é!

 

Texto da autoria de: Rute Justino

 

30
Jan20

Poderá o fracasso ser um "caminho inspirador"?!...


A (minha) resposta é sim!

Passo a explicar...

Eu, pessoalmente, não me sinto (nada) inspirada por aquelas pessoas que aparentam ter uma Vida perfeita, com tudo controlado, de fazer inveja a qualquer comum mortal...

Para mim, pessoas verdadeiramente inspiradoras, são aquelas que cometeram (e cometem) erros, que fracassaram e se desiludiram muitas vezes, mas que, isso, não as impediu de continuarem a tentar e a acreditar nas suas capacidades, mesmo que, às vezes, sejam alvo de chacota, apelidados de tolos, por acreditarem nas suas ideias, nos seus sonhos, quando estes se afiguram completamente absurdos aos olhos alheios...

Tomemos como exemplo a Ciência... alguém acredita, porventura, que algum cientista/investigador teve sucesso à primeira tentativa?!... o seu sucesso é fruto de muito trabalho, muitas tentativas falhadas, muitos fracassos...

Para mim, inspirador, é aquele que não faz do fracasso o seu destino final, mas sim um caminho (muito válido) para alcançar o(s) seu(s) objectivo(s) e que se orgulha desse percurso...

 

BUDAPESTE_as curvas do tempo.jpg

Budapeste_Hungria

 

29
Jan20

Ser "inspirador(a)"...


Muitas vezes já me disseram que me consideram uma pessoa "inspiradora" e que "gostariam de ser como eu"... e sei que estas pessoas o fazem de forma genuína e não, apenas, para me afagar o ego... mas confesso, sem falsa modéstia, que fico sempre muito surpreendida e, até, algo desconfortável, constrangida...

A verdade é que me questiono (inúmeras vezes): o que será que essas pessoas observam em mim que eu não consigo vislumbrar?!...

A verdade é que, tantas vezes, me sinto perdida, sem rumo e completamente desinspirada... como poderei, então, constituir fonte de inspiração para outros?!...

Não me interpretem mal... eu tenho muito orgulho na Pessoa que sou e sei que tenho algumas qualidades (e muitos defeitos, também!!!)... mas daí a considerar-me "um exemplo a seguir" ou "fonte de inspiração" vai, de facto, uma enorme distância...

 

DSC05420.JPG

Keukenhof_Holanda

 

28
Jan20

Uma questão de perspectiva...


Quando estou naqueles dias tortos (centrada no meu umbigo, submersa no meu mundinho de incerteza e dúvida), a não vislumbrar caminho que me leve a bom porto, tento lembrar-me daquelas pessoas que têm problemas a sério (que lutam contra uma doença grave, que (sobre)vivem num país em guerra, que não têm casa para se abrigar e/ou comida para se alimentar... sem saber se "o próximo dia" chegará...)... não que o mal dos outros me sirva de consolo (muito pelo contrário), simplesmente, permite-me recentrar, ganhar perspectiva, pensar de forma mais clara e objectiva, procurando verdadeiras soluções para aquilo que me inquieta...

 

R_ARia de Alvor

 

27
Jan20

Escrever...


Gosto de escrever... desde que me lembro...

Gosto de escrever à mão, a lápis, em cadernos de folhas brancas...

Gosto de anotar os pensamentos que fluem...

Gosto do eco das palavras escritas...

Gosto de letras bem desenhadas... de palavras soletradas, que se expressam num emaranhado de emoções...

Gosto Muito desta Liberdade que a escrita me proporciona...

 

K_8.JPG

Keukenhof_Holanda

 

24
Jan20

A Liberdade de... Maria Araújo


No mail Sapo, um título de um e-mail dizia "convite", reconheci as iniciais da pessoa (caso contrário nem abria o e-mail), fiquei de olhos demasiado  abertos e coração trémulo quando o li.

A MJP convidara-me para participar  com um texto nesta rubrica do seu blog, foi com prazer que aceitei escrever o que é para mim a Liberdade, um conceito tão abrangente  e com muito pano para mangas a ser partilhado.

Grata pelo convite e simpatia.




O que é para mim a Liberdade?

 

A Liberdade de...

 

O meu conceito  liberdade está, em primeiro lugar, no respeito por mim própria,  e depois no respeito que tenho na relação com as pessoas, com os animais, com o ambiente.

A praia é uma fonte de liberdade, gosto muito de caminhar na areia, nos dias de sol, sobretudo na época não balnear .

O meu sentimento de respeito pela natureza, pelos pássaros,  pelo mar, pela areia, pelas rochas, pelas gaivotas, por tudo quanto a praia me dá, é imenso. E são eles que me fazem sentir  livre e bem comigo própria.

Sentir o mar gelado nos pés, caminhar praia fora, pisando, por vezes, as  pegadas solitárias de alguém e sentir o que me podem transmitir momentos de reflexão e de libertação; de  prazer de ter a praia só para si.

E de costas para o sol, a sombra projectada na areia dá-me a sensação de liberdade, de paz, a pessoa  grande que sou. Não porque me faça sentir que sou importante, ou alguém que olha somente para o seu umbigo, nada disso, mas de  alguém que é livre de viver a vida de forma consciente, de ser responsável pelos seus actos, de estar sempre grata pelo que teve e consquistou ao longo dos anos, de gostar da solidão quando se sente tranquila e feliz, de sentir prazer numa boa companhia para partilhar conversas de vidas de sofrimento, de alegria, de paixões vividas, de filhos, de divórcios, de tudo e de nada.

E a minha sombra é livre  de sorrir, de dançar, de abrir os braços para sentir no corpo a aragem fresca do mar,  imitar o vôo das gaivotas, imaginar como será ter a liberdade de planar, de pousar onde quiserem e como quiserem.

Caminho de costas para o sol,  a minha sombra é livre de caminhar à minha frente e fazer-me sonhar e acreditar que este mundo ainda vai ser um lugar livre de egoísmo,  de opressões, de racismo e xenofobia. Um lugar sustentável e saudável para todos.

Basta os homens quererem. Basta respeitarem-se... E esta minha  liberdade de sonhar na paz e na igualdade.

De regresso ao ponto de partida, o meu corpo sente-se  mais livre, abre os braços para o sol, sorri-lhe e agradece-lhe  a energia que precisa para enfrentar o dia-a-dia, as adversidades, o trabalho, a rotina, os pensamentos negativos, as outras pessoas.

O conceito de liberdade é vasto.

Fiquei pelo que mais tem a ver comigo.

Grata, MJP

 

Texto da autoria de: Maria Araújo

 

22
Jan20

Sobre a Positividade...


Não sou, por natureza, uma Pessoa Positiva (embora gostasse muito de o ser)...

Mas esforço-me (muito), diariamente, por construir uma Vida Positiva, com sentido... por isso luto, incessantemente, contra todos os obstáculos (reais e/ou imaginários) com que a Vida me brinda... nem sempre sou bem sucedida, mas procuro nunca desistir... sou resiliente e proactiva...

Acredito que, a dita Positividade, é uma aprendizagem constante e uma conquista diária... por isso, continuo a Sonhar e a Acreditar que posso construir finais Felizes...

 

Minha praia.JPGO Meu lugar...

 

Pág. 1/4