Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Liberdade aos 42

... a vida depois da enfermagem...

Liberdade aos 42

... a vida depois da enfermagem...

20
Dez19

A Liberdade de... C.C.


images.jpg


A minha liberdade...


Ele cresceu a calar sentimentos!
Ele cresceu camuflando olhares e sensações que sentia no peito!
Ele dissimulava as palavras, numa tentativa de se aproximar sempre mais de quem o fazia sentir bem!
Ele estava preso!
Aprisionado dentro de uma bolha, fora dela a sociedade dita normal corria feliz, acreditando que ele também era feliz!
Como ninguém conseguia furar a bolha, ele continuava ali, acorrentado, imaginando apenas, o mundo do faz de conta, a vida que almejava ter!
Em lágrimas muitas vezes idealizava essa tal de liberdade que não o deixavam viver, a liberdade para poder...
Ele cresceu em busca dessa tal liberdade!
Aos poucos, ele próprio foi furando a bolha, ainda que escondido dos demais, procurou viver o que sempre soube, o que o seu coração sempre pediu, sempre desejou! Contudo, foi vivendo isso num misto de sentimentos, com a dúvida latente, entre o bem e o mal, entre o normal e o anormal, no fundo duvidando da sua noção de correcto e do correcto que a sociedade tentava incutir!
Sentia-se livre, mas também acorrentado, portanto nunca totalmente liberto das amarras do passado, dependente sempre do que as pessaos em volta exemplificavam como certo, como correcto, como caminho a seguir!
Muitas vezes se questionou se algum dia iria ser completamente livre!
Sofreu imensos dissabores usufruindo de uma vida escondida, chorou também imensas lágrimas ao perceber que esse dito mundo não era tão fácil assim de entrar e que nem todos procuravam o mesmo que ele! 
Não foi fácil, mas foi o caminho que escolhera, ainda que não sendo completamente livre, pelo menos tinha com quem partilhar os seus sentimentos, as suas dúvidas existenciais, sendo assim que também percebeu o que realmente queria para ele e para a vida futura!
Mas faltava-lhe sempre algo...
Os anos passaram e sair de casa da família, conferiu-lhe um pouco mais de liberdade!
Foi então que percebeu que ainda assim, escondido, poderia ser mais feliz...e quatro meses de ter ficado independente encontrou o amor!
A família em volta foram descobrindo o que  tanto ele escondia, de todos começou a ter o devido apoio, mas isso não era tudo!
Causou algumas lágrimas a revelação, mas muitos já tinham percebido!
Ele não ía seguir os parâmetros de uma sociedade normal! Ele não ía encontrar uma mulher e casar! Ele possivelmente não iria aumentar a família, dar o nome a uma criança! 
Ele era homossexual!
Dois anos após ter encontrado o amor, construíram um ninho a dois!
Mas ainda assim...
Ainda que ténue ainda existia ali um entrave, faltava-lhe algo para ser completamente feliz!
Foi um caminho longo de percorrer, começou pouco antes de entrar na adolescência, com muitos medos, mentiras, omissões, sofrimento, lágrimas!
Só encontrou a verdadeira liberdade aos 35 anos!
Faltava uma pessoa na vida dele, perceber, ter a aceitação dela para que a vida lhe desse o que tanto almejava!
Numa conversa franca com a mãe, esta apenas lhe disse lá do alto dos seus 74 anos!
"És meu filho, sempre o serás, a cama que fizeres, nela te hás-de deitar!"
A partir daquele dia ele sentiu o que realmente era a liberdade...
...a liberdade para amar!

 

Texto da autoria de: C.C.

 

26 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D