Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Liberdade aos 42

Liberdade aos 42

17
Set21

A Liberdade de... Dyda


Qual é a cor?
As vezes gostava que fosse Rosa
Outras podiam ser Petúnias
Gosto de Peónias
Ainda de um ramos de Marias
Sorver uma gota de Orvalho
E do perfume a Cravo
Com o sol a colorir
Podia bem ser um belo Girassol
E na pressa de descobrir
A casca de um caracol
As pintas de uma Joaninha
As asas de uma Borboleta
Gargalhadas de Petizes...
E tudo o que nos deixasse Felizes
Liberdade é um pouco disto e daquilo
Em conta e medida certa
Se for muito abastada
Depressa se transforma em nada
Por lhe perdermos a conta
Liberdade é um pouco de tudo
Com respeito por nós e pelos outros

Liberdade é encher uma mão de areia e vê-la fugir por entre os dedos.
É encher uma mão em concha com água e ver o tempo que a conseguimos segurar.
Nada é nosso para sempre. Talvez isso seja a verdadeira cor da liberdade.
A cor do tudo
A cor em que num instante, é Nada

Se por momentos for verde e vermelha, então a liberdade será verde e vermelha.

 

Texto da autoria de: Dyda

 

16 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub