Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Liberdade aos 42

... a vida depois da enfermagem...

Liberdade aos 42

... a vida depois da enfermagem...

24
Jan20

A Liberdade de... Maria Araújo


No mail Sapo, um título de um e-mail dizia "convite", reconheci as iniciais da pessoa (caso contrário nem abria o e-mail), fiquei de olhos demasiado  abertos e coração trémulo quando o li.

A MJP convidara-me para participar  com um texto nesta rubrica do seu blog, foi com prazer que aceitei escrever o que é para mim a Liberdade, um conceito tão abrangente  e com muito pano para mangas a ser partilhado.

Grata pelo convite e simpatia.




O que é para mim a Liberdade?

 

A Liberdade de...

 

O meu conceito  liberdade está, em primeiro lugar, no respeito por mim própria,  e depois no respeito que tenho na relação com as pessoas, com os animais, com o ambiente.

A praia é uma fonte de liberdade, gosto muito de caminhar na areia, nos dias de sol, sobretudo na época não balnear .

O meu sentimento de respeito pela natureza, pelos pássaros,  pelo mar, pela areia, pelas rochas, pelas gaivotas, por tudo quanto a praia me dá, é imenso. E são eles que me fazem sentir  livre e bem comigo própria.

Sentir o mar gelado nos pés, caminhar praia fora, pisando, por vezes, as  pegadas solitárias de alguém e sentir o que me podem transmitir momentos de reflexão e de libertação; de  prazer de ter a praia só para si.

E de costas para o sol, a sombra projectada na areia dá-me a sensação de liberdade, de paz, a pessoa  grande que sou. Não porque me faça sentir que sou importante, ou alguém que olha somente para o seu umbigo, nada disso, mas de  alguém que é livre de viver a vida de forma consciente, de ser responsável pelos seus actos, de estar sempre grata pelo que teve e consquistou ao longo dos anos, de gostar da solidão quando se sente tranquila e feliz, de sentir prazer numa boa companhia para partilhar conversas de vidas de sofrimento, de alegria, de paixões vividas, de filhos, de divórcios, de tudo e de nada.

E a minha sombra é livre  de sorrir, de dançar, de abrir os braços para sentir no corpo a aragem fresca do mar,  imitar o vôo das gaivotas, imaginar como será ter a liberdade de planar, de pousar onde quiserem e como quiserem.

Caminho de costas para o sol,  a minha sombra é livre de caminhar à minha frente e fazer-me sonhar e acreditar que este mundo ainda vai ser um lugar livre de egoísmo,  de opressões, de racismo e xenofobia. Um lugar sustentável e saudável para todos.

Basta os homens quererem. Basta respeitarem-se... E esta minha  liberdade de sonhar na paz e na igualdade.

De regresso ao ponto de partida, o meu corpo sente-se  mais livre, abre os braços para o sol, sorri-lhe e agradece-lhe  a energia que precisa para enfrentar o dia-a-dia, as adversidades, o trabalho, a rotina, os pensamentos negativos, as outras pessoas.

O conceito de liberdade é vasto.

Fiquei pelo que mais tem a ver comigo.

Grata, MJP

 

Texto da autoria de: Maria Araújo

 

38 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D