Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Liberdade aos 42

Liberdade aos 42

28
Fev20

A Liberdade de... Teoria do nada


A minha liberdade

Recebi um convite da MJP do Blog Liberdade aos 42, para falar da minha liberdade. Demorei a escrever este texto, ou aliás, demorei a começar a escrever, depois saiu tudo de forma muito fácil. 

A minha liberdade tem mudado ao longo da vida. A personalidade, a consciência de mim própria e da sociedade onde me insiro, as minhas crenças, as leis a que estou sujeita, são influenciadoras da minha liberdade.

Quando nasci, o país não tinha liberdade, de falar, de escrever o que pensava ou achava correcto, se fosse diferente de quem o liderava. Mas desses tempos pouco me lembro, mas sentia o medo por parte dos meus pais e houve algo que só percebi muito mais tarde. A minha mãe dizia, muito: já somos três, não podemos continuar a falar. Só mais tarde percebi que três pessoas na rua a falar podia ser um acto de “conspiração” ou algo do género. Sentia o medo, mas não o entendia.

Fui crescendo e não tinha liberdade para fazer tudo o que gostaria, mas fazia parte das regras. Lembro-me de votar pela primeira vez com 18 anos, e como não tinha qualquer consciência política, fui votar no partido ou pessoa que o meu pai indicou, neste caso eram umas presidenciais e votei na pessoa que mais tarde me arrependi amargamente de o ter feito. Mas a escolha era minha, eu é que não me interessava ainda por política e para mim era igual. Mas não era, ou agora vejo que não era de todo.

Com a idade fui tendo muitas discussões políticas com o meu pai, fruto de termos pensamentos e ideais diferentes, e isso é sinal de liberdade. Essas discussões duram até hoje.

Também com a idade, aprendi a dizer NÃO a determinadas situações, a tudo o que não quero fazer.

Mais tarde aprendi a dizer NÃO, a todas as pessoas que não me acrescentam nada de bom, ou não interessam para coisa alguma, ou simplesmente não nos trazem boas energias.

No trabalho, procuro sempre a minha liberdade, e para isso percebi que só havia um caminho, ainda que arriscado, tinha que ser a minha própria empregadora, há muitos riscos inerentes, mas nada como sermos nós a gerir a nossa agenda e forma de trabalhar. Já o faço desta forma como trabalhadora independente desde 2004, e apesar de não ser tão estável financeiramente, compensa muito em liberdade. Só temos de ter muita disciplina a gerir os ganhos e os gastos.

O próximo passo para a liberdade é atingir a independência financeira.

Já digo o que quero, sem me preocupar com o que os outros pensam, visto como quero, faço o que quero e dou-me apenas com quem quero, esta foi a mais difícil e recente liberdade, dar-me com quem quero e cortar radicalmente com quem não quero estar.

 

Livre

Independente

Bem-estar e de Bem com a vida

Escolher

Respeito

Direito

Autónoma

Descontraída 

Empoderada 

E esta é a minha liberdade e a pessoa que eu sou.

 

Texto da autoria de: Teoria do nada

 

16 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub