Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Liberdade aos 42

... a vida depois da enfermagem...

Liberdade aos 42

... a vida depois da enfermagem...

17
Fev20

O (meu) Mar...


O MAR produz, em mim, um efeito que não consigo explicar... emociona-me a cada encontro... e já foram milhares, os nossos encontros, ao longo das minhas quatro décadas de existência... mas é, sempre, como se fosse a primeira vez, o primeiro encontro, uma sensação que me transcende... algo Mágico acontece... sinto-me, sempre, acolhida e reconfortada (por ele), de alma lavada e energia renovada... sinto que pertencemos um ao outro... uma atracção que não se explica, apenas se sente... desfruta-se...

 

recomeçar....jpg

Praia de Alvor

 

06
Fev20

Sobre o AMOR e a sua expressão...


Não é novidade falar de AMOR, aqui, no blog... mas, desta vez, a reflexão foi suscitada por esta publicação da Isabel...

Considero que AMAR é a capacidade mais extraordinária que o Ser Humano possui e que deve ser exercitada ao máximo, consubstanciando actos da mais pura generosidade e genuinidade...

Lamentavelmente, muitas vezes, a expressão de afecto (genuína e desinteressada) é traduzida, pelo outro, como lamechice, carência afectiva e é, precisamente, o contrário... só quem conhece a importância da partilha de afectos, a importância de ser amado, é capaz de demonstrar, sem qualquer vergonha, sem receio de parecer ridículo, o seu afecto... é, portanto (a meu ver), um sinal de maturidade emocional...

Acredito, muito sinceramente, que AMAR nunca é errado! O AMOR, como eu o entendo (uma energia boa, que conforta, que faz sorrir o nosso coração), será sempre uma dádiva... uma (a melhor) solução...

Acontece, com frequência, as pessoas se sentirem constrangidas com demonstrações de afecto, sobretudo, em público... parece que a palavra AMO-TE, apenas é permitida entre pares românticos ou, eventualmente, entre pais e filhos (ou irmãos), como se o AMOR se confinasse a essas tipologias de relações...

Eu AMO os Meus AMIGOS e gosto que eles saibam o que sinto... mas, no início, é constrangedor, porque não somos educados para a expressão dos afectos e, facilmente, a palavra AMO-TE adquire a conotação romântica...

A verdade é que, com (muita) facilidade dizemos ADORO-TE, mas é com (alguma) dificuldade que pronunciamos a palavra AMO-TE... mas se é AMOR que queremos expressar porque nos coíbimos de usar a palavra certa?!... simplesmente, porque tememos o julgamento alheio, porque a expressão do AMOR, em todas as suas formas, ainda é um assunto tabu (atrevo-me a dizer, o maior tabu) para muitas pessoas...

Sejam Felizes e contribuam para a Felicidade alheia... espalhem (o vosso) AMOR pelo Mundo!

 

02
Dez19

Depois dos cadeados do AMOR... as fitas!


Há algum tempo, uma conhecida cadeia hoteleira portuguesa, que abriu mais uma unidade no concelho de Portimão, decidiu criar esta acção de marketing para promover o seu restaurante de praia e... a moda pegou...

 

LOVE.JPGPraia de Alvor

 

Desde então, inúmeros casais, que por aqui passam, amarram uma fitinha no gradeamento do passadiço, simbolizando a sua união...

A sério, pessoas?!... prender o AMOR???... acham, mesmo, que é esse o caminho?!... 

parte boa  é que as fitas são mais leves que os cadeados e degradam-se mais rapidamente...

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D