Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Liberdade aos 42

Liberdade aos 42

30
Jun20

2020 vai a meio... e os profissionais de saúde?!...


E assim, de repente (ou talvez não!), estamos a meio do ano...

Um ano diferente... arriscaria, mesmo, dizer que 2020 será, provavelmente, o ano mais atípico que a maioria de nós já experienciou...

Fomos brindados com acontecimentos inesperados (inimagináveis) que abalaram, provavelmente, algumas das nossas certezas...

Muito se tem opinado sobre o assunto... muitas teorias emergiram (com maior ou menor fundamento) sobre a origem do vírus, sobre a sua disseminação... 

No início do ano, creio que poucos pensariam que o vírus chegaria à Europa... à medida que o tempo foi decorrendo e as imagens do desespero (e da morte), que chegavam de Itália e de Espanha,  invadiam os nossos ecrãs, fomo-nos dando conta de que isto era "real"... que o "nosso dia" haveria de chegar... era inevitável a chegada do vírus a Portugal... muitos de nós, conhecedores das fragilidades do nosso Serviço Nacional de Saúde (SNS) - onde eu me incluo - temeram o pior...

O SNS é (ou deveria ser) a "jóia da coroa"... a salvaguarda da nossa saúde, em última instância, da nossa Vida... o que é facto é que, ao longo de décadas, sempre foi negligenciado, subfinanciado, pelos sucessivos governos... era público... toda a gente sabia, mas ninguém parecia importar-se verdadeiramente... desde que "o trabalho aparecesse feito" ninguém queria conhecer "os meios usados para atingir os fins", porque o importante é ter estatísticas bonitas para apresentar - números de consultas, de cirurgias realizadas, etc....

Sempre houve uma tremenda falta de respeito pelos profissionais de saúde, estes sempre foram vistos como meras "peças de engrenagem" facilmente substituíveis... os sucessivos governantes nunca lhes prestaram atenção, nunca quiseram saber quem eram, nem precisavam de um nome, um número era suficiente para os identificar - o número mecanográfico - torna tudo mais fácil, não é?!...

Com a pandemia instalada, muitos rostos de profissionais de saúde tornaram-se públicos (por tristes razões), muitos tomaram consciência que os profissionais de saúde também são Pessoas, que têm famílias, amigos, que têm medos, fragilidades, que são vulneráveis ao contexto que os envolve... bateram-se palmas à janela, teceram-se rasgados elogios... mas...

O que é facto é que não sabemos quando esta pandemia chegará ao fim, prevendo-se que o caminho a percorrer ainda seja muito longo, e os profissionais de saúde, que não abandonaram a luta, continuam frágeis, vulneráveis, desprotegidos, com deficientes condições de trabalho, que não são novas mas que, em muitos casos, se acentuaram (e muito) com esta crise sanitária...

Os profissionais de saúde sempre acreditaram no SNS... ao contrário dos sucessivos governantes... que, apenas, se serviram dele e dos seus números (sem rostos)... e, lamentavelmente, prevejo que assim continuará...

 

18
Mai20

Sinais dos tempos...


Hoje, 18 de Maio, é o Dia Internacional dos Museus e o Jornal Público, para assinalar a data, decidiu presentear os seus leitores com uma máscara social, por cada exemplar impresso. 

 

 

Este é um dos vários modelos disponíveis:

máscara social.jpg

 

Confesso que nem no meu maior delírio, alguma vez, imaginei que uma máscara se pudesse transformar num acessório de moda ou num brinde publicitário...

 

30
Abr20

É difícil para todos...


Que os tempos que vivemos são difíceis já todos constatámos... são difíceis para todos, no entanto, muito diferentes no grau de dificuldade que cada um experiencia...

Certamente que quem perdeu o emprego ou viu a sua sustentabilidade financeira claramente abalada terá preocupações diferentes daqueles que mantêm a estabilidade económica...

Quem teve a infelicidade de ficar doente neste período (com ou sem covid-19) também terá, obviamente, preocupações acrescidas porque teme pela sua Vida...

E muitas outras situações haveria para enunciar... mas vou centrar-me naqueles que, teoricamente, "apenas" lhes foi pedido que ficassem em casa, sem outras alterações relevantes na sua vida...

Para estes, os ditos sortudos, as primeiras semanas foram mágicas, repletas de ideias e afazeres domésticos outrora adiados... o problema começou com o acumular dos dias iguais, em que a paciência e a motivação, para fazer o que quer que fosse, se foi esgotando e agora só querem "ordem de soltura" para retomarem a vida de outrora...

desconfinamento está ao virar da esquina e requer, sobretudo, bom senso, equilíbrio e muita responsabilidade nas atitudes e comportamentos de todos e de cada um...

Estaremos todos "na mesma página", "a ver o mesmo filme"?

Como escrevi outro dia, em resposta a um comentário:

"Gostaria muito de estar enganada... mas, muito sinceramente, não consigo ter assim tanta "fé" na Humanidade... também não acredito que esta "guerra" nos tenha tornado "melhores pessoas"... creio que, quem já era "bom" continuará a ser e quem não o era não é agora que se tornará (muito pelo contrário)!
Ainda temos muitas "batalhas" pela frente e não serão tempos fáceis... mas não sou derrotista ou fatalista e acredito que, se o bom senso e a responsabilidade de cada um prevalecer, poderemos ter uma "guerra menos sangrenta e menos duradoura"...

 

29
Mar20

"Resistiré"...


Hoje partilho uma canção que se tornou um hino de união e resistência, em Espanha, e que me tem emocionado por estes dias...

 

 
Resistiré
 
Cuando pierda todas las partidas
Cuando duerma con la soledad
Cuando se me cierren las salidas
Y la noche no me deje en paz
 
Cuando sienta miedo del silencio
Cuando cueste mantenerme en pie
Cuando se rebelen los recuerdos
Y me pongan contra la pared
 
Resistiré, erguido frente a todo
Me volveré de hierro para endurecer la piel
Y aunque los vientos de la vida soplen fuerte
Soy como el junco que se dobla,
Pero siempre sigue en pie
 
Resistiré, para seguir viviendo
Soportaré los golpes y jamás me rendiré
Y aunque los sueños se me rompan en pedazos
Resistiré, resistiré
 
Cuando el mundo pierda toda magia
Cuando mi enemigo sea yo
Cuando me apuñale la nostalgia
Y no reconozca ni mi voz
 
Cuando me amenace la locura
Cuando en mi moneda salga cruz
Cuando el diablo pase la factura
Si alguna vez me faltas tu
 
Resistiré, erguido frente a todo
Me volveré de hierro para endurecer la piel
Y aunque los vientos de la vida soplen fuerte
Soy como el junco que se dobla,
Pero siempre sigue en pie
 
Resistiré, para seguir viviendo
Soportaré los golpes y jamás me rendiré
Y aunque los sueños se me rompan en pedazos
Resistiré, resistiré
 
 
Fonte: Musixmatch
Compositores: Carlos Toro Montoro / Diego Manuel de la Calva
Intérpretes: Dúo Dinámico (Manuel de la Calva y Ramón Arcusa)
Letras de Resistire © Emi Music Publishing Spain Sa, Peermadrid Star, Peermadrid Star (peermusic Spain)
 
 
25
Mar20

Apelo!


Começo por me dirigir a todos aqueles que, por via de alguns comportamentos irreflectidos e negligentes (muitas vezes, guiados pela inconsciência e pela desinformação ou por manifesta irresponsabilidade), condicionam a nossa saúde e segurança:

Isto não é um simulacro e, muito menos, uma brincadeira... estamos perante o maior desafio de Saúde Pública que alguma vez enfrentámos... um desafio que pode ser superado se TODOS nos consciencializarmos de que o nosso comportamento (individual) importa, que faz mesmo (toda) a diferença...

Por favor, não queiram ser lembrados como aqueles que, por ignorância ou arrogância, contribuiram para a morte de alguém... reflictam e ajam de forma responsável, mudem comportamentos...  MUITO OBRIGADA!!!    

A todos os outros, cidadãos responsáveis e cumpridores, que felizmente são a esmagadora maioria: 

Mais do que criticar os comportamentos irresponsáveis dos outros, é tempo de educar...

e não há melhor forma de educar do que dar o exemplo...

sejamos, então, cidadãos exemplares, sem excepção!...

cidadãos responsáveis, dotados de bom senso, solidários e cumpridores escrupulosos das orientações das Autoridades de Saúde... agentes de Saúde Pública!

MUITO OBRIGADA!!!

 

Mais informações aqui.

 

23
Mar20

Precisamos de serenidade...


"A serenidade não é frivolidade nem complacência, é o mais elevado conhecimento e amor, a afirmação de que a realidade se encontra desperta, à beira de todas as profundezas e abismos. A serenidade é o segredo da beleza e a verdadeira substância de toda a arte."

Hermann Hesse

 

Cabanas de Tavira.JPGCabanas de Tavira (do meu arquivo pessoal)

 

A serenidade ajuda-nos a combater o medo e a usar o bem senso, condições essenciais para agir com responsabilidade e evitar comportamentos de risco!

Por favor, faça a sua parte... cumpra as orientações das Autoridades de Saúde!

 

Torne-se um agente de Saúde Pública...

seja o elo mais forte!

 

Mais informações aqui.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub