Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Liberdade aos 42

Liberdade aos 42

27
Abr21

Mimos...


Há muitas formas de demonstrar afecto e, para mim, as mais sublimes são aquelas que nos surpreendem nos gestos mais simples...

Um Abraço Bem apertado (completamente inesperado)...

Um simples sms que diz: "Que tenhas um dia Feliz e que continues com a porta do teu coração aberta a todos os que precisam de Ti, afinal És Especial por acreditares que as pessoas valem mais do que os seus próprios actos, muitas vezes egoístas e injustos."

Acredito que os mimos nunca são de mais e, quantas vezes, operam o Milagre de nos fazer sorrir (ou chorar de Alegria), nos dias mais cinzentos... e de nos encher o coração de ternura e Gratidão...

 

Muito Obrigada!

 

Coração.JPG

No nosso jardim

 

13
Abr21

Gratidão e Liberdade de escolha...


Ontem tive de sair por volta das 13h para tratar de uma questão burocrática no Banco... depois de alguns episódios caricatos (que não importa aqui revelar), cerca das 14:30h estava despachada...

Estava uma tarde agradável, com Sol e algum vento e, ao invés de regressar a casa, resolvi ir até à Zona Ribeirinha de Alvor para tomar uma bebida fresca numa das esplanadas "coladas" à Ria...

Uma vez chegada ao local, a escolha da esplanada revelou-se (muito) fácil... apenas uma se encontrava em funcionamento...

Sentei-me numa cadeira, junto a uma mesa, de frente para a Ria...

V_Esp.JPG

 

E... rapidamente, o empregado de mesa se aproximou e perguntou se desejava fazer o pedido ou se aguardava por alguém... sorri e respondi que a companhia que desejava estava muito longe, por isso, seria apenas eu... ele retribuíu o sorriso e tomou nota do pedido (apesar de ambos usarmos máscaras, a troca de olhares denunciou os nossos sorrisos!)...

Enquanto aguardava pela minha bebida, fui surpreendida por uma bela companhia (que aparecia e desaparecia ao sabor da sua vontade)...

Pardal_1.JPG

Pardal_2.JPG

 

Gostaria de vos dizer que, enquanto saboreava a minha bebida e desfrutava da vista e da companhia intermitente deste simpático pardal, desfrutava do maravilhoso odor a maresia (que tanto aprecio)... só que não!!!... lamentavelmente, o único odor que pairava no ar (e nos irrompia narinas adentro, sem pedir licença) era o desagradável e enjoativo cheiro a fritos, que se sobrepunha, até, ao fumo dos cigarros dos fumadores ali presentes!!!

Mas... apesar desse desagradável facto, apenas conseguia sentir uma Enorme Alegria... só pensava o quanto me sentia Grata por ter Liberdade de escolha (e coragem) para dizer "basta!" e mandar "às urtigas" (ou a outro qualquer sítio que a vossa imaginação ditar) todos aqueles que não respeitam o meu trabalho e a minha forma de estar na Vida... 

(talvez quem não me conheça pense que é fácil "falar de barriga cheia"... são Livres de pensar o que quiserem... mas, a verdade, é que por mais dificíl que seja a situação, eu escolho sempre estar de consciência tranquila, nunca me trair, manter-me fiel aos princípios e valores que norteiam a Minha Vida, mesmo que isso me traga inúmeros dissabores...)

Terminada a bebida, fui passear um bocadinho à beira-ria...

cais.JPG

Desci até ao cais e deparei-me com um Enorme cardume de minúsculos peixinhos (muito difíceis de fotografar, tal era a velocidade a que se moviam!)...

cardume.JPG

 

No lado oposto à Ria, uma arriba transbordante de Vida...

arriba.JPG

 

Mais adiante, a Natureza mostra-se indiferente a qualquer confinamento e, resiliente como só Ela, floresce em qualquer ambiente...

Nat_cfn.JPG

Nat_palm.JPG

 

Já de regresso a casa... fui matar Saudades do Meu MAR...

MAR.JPG

MAR_P.JPG

 

Voltei para casa de coração cheio!

(De facto, preciso de muito pouco para me sentir Feliz!)

 

07
Abr21

Sorrisos "sem rosto"...


Quem acompanha este blog sabe, certamente, que sou enfermeira (embora me tenha ausentado do exercício profissional)...

Durante o mês de Março, neste contexto terrível de Pandemia (que parece não ter fim à vista), tive uma experiência profissional que me marcou profundamente...

Uma das coisas que me causou maior angústia foi nunca poder revelar o meu rosto aos doentes... havia sempre uma máscara horrível que me cobria (e feria) o rosto...

Num dia particularmente difícil, um dos doentes, sabendo que eu estava de saída e parecendo adivinhar os meus pensamentos, disse-me:

"Gostaria tanto de conhecer o seu rosto... sei que não é possível... mas, o mais importante é que, guardarei para sempre o seu sorriso!"

Fiquei surpreendida com o comentário e perguntei como poderia guardar o meu sorriso  se nunca o havia conhecido?!...

Sorridente, respondeu-me:

"Posso nunca ter visto os seus lábios mas nunca esquecerei o seu olhar... você sorri com os olhos e esse sorriso alegra os nossos dias e renova-nos a Esperança!"

(Senti-me tão Grata!!!... fiquei emocionada e não consegui conter as lágrimas...)

Ele não sabe (nunca saberá)... mas aquelas palavras salvaram-me  naquele dia...

Obrigada!

 

Sorriso Primaveril.JPGNo nosso jardim

 

24
Out20

Uma Bela surpresa!!!


Eis que sou surpreendida com um link proveniente do "Blogue dos blogues" (pelo menos, para mim), leia-se: Delito de Opinião...

 

"Blogue da semana

por Pedro Correia, em 24.10.20
É um blogue que cultiva o bom gosto. Nas imagens que escolhe, nas poesias que selecciona, nas aliciantes receitas que nos vai proporcionando, na interacção que estabelece com leitores. Não admira que tenha conquistado adeptos fiéis e um núcleo alargado de visitantes.

Merece destaque aqui no DELITO. Liberdade aos 42 é o nosso blogue da semana."

 

Sinceramente nem sei como agradecer tamanha gentileza... sinto-me muito honrada e grata!

Liberdade aos 42 é um espaço público, que se pretende seja de partilha, onde se pratica a tolerância e a inclusão, e que se deseja dinâmico e interactivo... e tal não seria possível sem a generosidade de todos aqueles que por aqui passam, dedicando algum do seu precioso tempo a ler e a comentar... MUITO OBRIGADA a TODOS!!!

Bom fim-de-semana!

 

R_A.JPGRia de Alvor 

 

24
Set20

Canção de Outono...


Especialmente para Ti, Minha Querida, que amas o Outono...

 

Canção de Outono

Perdoa-me, folha seca,
não posso cuidar de ti.
Vim para amar neste mundo,
e até do amor me perdi.
De que serviu tecer flores
pelas areias do chão
se havia gente dormindo
sobre o próprio coração?

E não pude levantá-la!
Choro pelo que não fiz.
E pela minha fraqueza
é que sou triste e infeliz.
Perdoa-me, folha seca!
Meus olhos sem força estão
velando e rogando aqueles
que não se levantarão...

Tu és folha de outono
voante pelo jardim.
Deixo-te a minha saudade
- a melhor parte de mim.
E vou por este caminho,
certa de que tudo é vão.
Que tudo é menos que o vento,
menos que as folhas do chão...

Cecília Meireles 
 

folhas.JPGNuma rua de Serpa...

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub