Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Liberdade aos 42

Liberdade aos 42

24
Mai21

A paz sem vencedor e sem vencidos...


Dai-nos Senhor a paz que vos pedimos
A paz sem vencedor e sem vencidos
Que o tempo que nos deste seja um novo
Recomeço de esperança e de justiça.
Dai-nos Senhor a paz que vos pedimos

A paz sem vencedor e sem vencidos

Erguei o nosso ser à transparência
Para podermos ler melhor a vida
Para entendermos vosso mandamento
Para que venha a nós o vosso reino
Dai-nos Senhor a paz que vos pedimos

A paz sem vencedor e sem vencidos

Fazei Senhor que a paz seja de todos
Dai-nos a paz que nasce da verdade
Dai-nos a paz que nasce da justiça
Dai-nos a paz chamada liberdade
Dai-nos Senhor paz que vos pedimos

A paz sem vencedor e sem vencidos

Sophia de Mello Breyner Andresen

 

d_a.JPGNo nosso jardim

 

17
Mai21

O Mundo...


Creio no mundo como num malmequer,
Porque o vejo. Mas não penso nele
Porque pensar é não compreender...

O Mundo não se fez para pensarmos nele
(Pensar é estar doente dos olhos)
Mas para olharmos para ele e estarmos de acordo...

Eu não tenho filosofia; tenho sentidos...
Se falo na Natureza não é porque saiba o que ela é,
Mas porque a amo, e amo-a por isso
Porque quem ama nunca sabe o que ama
Nem sabe por que ama, nem o que é amar...

Fernando Pessoa

 

14.JPG

No campo...

 

04
Set19

Muros de indiferença...


Não sou nenhum poço de virtude (longe disso...) mas, desde tenra idade, que os meus pais me ensinaram a respeitar o Universo à minha volta... explicaram-me que, cada animal e cada planta, tem o seu papel a desempenhar e que, por isso, deve ser respeitado e preservado...

Eu tive o enorme privilégio de crescer (livremente) no campo, em plena comunhão com a Natureza... aprendi a observar, minuciosamente, cada recanto... o meu pai dizia-me, sempre: "tens de ter muita atenção onde colocas os pés, há plantas e animais muito pequeninos, não deves pisá-los!"

O meu pai ensinou-me a apreciar as formigas e as abelhas, a beleza das teias de aranha e, até, a respeitar as cobras (animal que sempre temi), explicando-me, por exemplo, o quanto são importantes para controlar a população de ratos...

(e agora... quem estiver a ler, deve estar a pensar... e o que é que isto tem a ver com o título do post?!... tenham alguma paciência... lá chegarei...)

Os meus pais ensinaram-me (entre muitas outras coisas) o que é o respeito pela Vida, qualquer Vida, desde o mais minúsculo animal ou planta até ao Ser Humano... ensinaram-me que nos devemos preocupar, genuinamente, com os outros.

Ainda que, as notícias que nos chegam, sejam tristes e perturbem a nossa harmonia, o nosso bem-estar, não devemos ignorá-las, como se isso as fizesse desaparecer e nós pudessemos continuar na nossa bolha, indiferentes, ao sabor da corrente, porque a indiferença, também, mata e não aligeira a culpa... 

Sempre que nos demitimos de interferir, sempre que fechamos os olhos às atrocidades que se passam no (nosso) Mundo, de cada vez que permitimos que uma pessoa, ao nosso lado, seja desrespeitada, que um animal seja mal-tratado, que uma planta seja destruída, estamos a acrescentar um tijolo ao muro, um peso a quem se afoga no Mar...

Se alguém ousa construir muros de aço e betão é porque nós permitimos, porque no nosso dia-a-dia, construímos muros de indiferença...

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub