Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Liberdade aos 42

Liberdade aos 42

25
Dez20

Feliz Natal!


 

They said there'll be snow at Christmas
They said there'll be peace on Earth
But instead it just kept on raining
A veil of tears for the virgin birth
I remember one Christmas morning
A winters light and a distant choir
And the peal of a bell and that Christmas Tree smell
And eyes full of tinsel and fire
They sold me a dream of Christmas
They sold me a Silent Night
And they told me a fairy story
'Till I believed in the Israelite
And I believed in Father Christmas
And I looked to the sky with excited eyes
'Till I woke with a yawn in the first light of dawn
And I saw him and through his disguise
I wish you a hopeful Christmas
I wish you a brave New Year
All anguish pain and sadness
Leave your heart and let your road be clear
They said there'll be snow at Christmas
They said there'll be peace on Earth
Hallelujah Noel be it Heaven or Hell
The Christmas we get we deserve

 

18
Dez20

Presépio Algarvio...


As celebrações associadas ao Natal têm início, no Algarve, a 8 de Dezembro, dia de Nossa Senhora da Conceição. Nessa data, “deitam-se os trigos”, ou seja, pequenas sementes de trigo, milho, centeio ou alpista são colocadas em pequenos pratinhos de louça ou de barro (ou latas de conserva) para formar as “searinhas”, que enfeitarão os presépios.

O Presépio tradicional do Algarve não representa o cenário da gruta de Belém, conforme explica o Padre José da Cunha Duarte

"Nos tempos idos, nove dias antes do Natal, as famílias preparavam a casa para armar o Presépio ou armar o Menino. Geralmente faziam-no em cima de uma cómoda que se encontrava em frente da porta da casa de fora.

A casa era varrida e lavada. No chão, à frente da cómoda, ficava uma esteira de empreita, muitas vezes com motivos geométricos polícromos.

Em que difere e em que consiste o chamado Presépio Algarvio? Em cima da cómoda, revestida com uma toalha branca e com larga renda pendente, colocava-se um pequeno trono em escadaria, com aproveitamento de gavetas ou de medidas de cereais, também conhecido por altarinho, escadaria, penha ou charola, que imitava o altar-mor da Igreja.

Construído o trono, começava-se a ornar o Menino. As searinhas, germinadas dentro de chávenas ou pires pequenos desde a Festa da Imaculada Conceição, eram colocadas no trono, com arte, às quais se juntavam as típicas laranjas, que também se dependuravam na parede. A ladear o conjunto colocavam-se jarras com verdura, onde sobressaía a murta, o loureiro, o alecrim, a aroeira e a nespereira. Havia também a modalidade de se acrescentar à frente do trono ou a ladear o Menino, um arco enramado. Era o chamado Presépio armado em capela ou presépio com arco.

A encimar o trono erguia-se o Menino, primorosamente vestido, de pé, triunfante e vitorioso, rei e Senhor do Universo, o “botão” nascido da “roseira”. Por isso se colocava numa das mãos, um raminho de flores, geralmente de papel.

À frente do trono havia uma lamparina de azeite, sempre acesa até à festa da Apresentação de Jesus no templo e a Purificação de Nossa Senhora, em 02 de Fevereiro.

Diante deste Presépio se fazia a novena do Natal e circulavam famílias e amigos, pois o Menino vem para aproximar as pessoas, desfazer contendas, estreitar corações".

 

Presépio Algarvio.jpg

Presépio Algarvio

 

Esta tradição do Presépio em escadaria remonta, segundo alguns estudiosos na matéria, como é o caso do  Padre José da Cunha Duarte, à Idade Média, sendo típica do Algarve e podendo, também, encontrar-se na Ilha da Madeira, com a chamada “lapinha”, construída com três ou mais passadas (degraus) e ornamentada com frutas e searinhas. Nos Açores, o presépio com o Menino em pé denomina-se “altarinho” e são-lhe colocadas, igualmente, searinhas, sendo as paredes da sala onde ele é armado, ornamentadas com ramos de laranjeira e laranjas. 

Nota: No Barrocal Algarvio, as laranjas, colocadas no presépio, não eram apenas para ornamento. Possuir laranjas era sinal de distinção. Quando um afilhado ou pessoa amiga fazia uma visita na quadra natalícia, dava-se uma laranja que estava no Presépio. Se vinha o médico ou o prior a casa, as famílias ficavam muito felizes e sentiam-se honradas se eles retirassem uma peça de fruta do seu Presépio.

 

https://turismo.diocese-algarve.pt/tradicoes-do-algarve/item/692-natal-no-algarve

http://www.cgalgarve.com/presepio.html

http://www.aejbv.pt/pagina/images/2018-2019/presepio_tradicional_algarvio/Simbologia_do_Pres%C3%A9pio_Tradicional_Algarvio.pdf

http://museumunicipaldetavira.cm-tavira.pt/sites/default/files/COMO%20FAZER%20O%20PRESEPIO%20ALGARVIO.pdf

http://www.terraruiva.pt/2020/12/08/presepio-tradicional-algarvio-hoje-e-dia-de-semear-as-searinhas-de-natal/

https://agencia.ecclesia.pt/portal/o-natal-do-algarve-3/

https://barlavento.sapo.pt/destaque/presepio-algarvio-um-patrimonio-a-nao-esquecer

 

19
Dez19

Natal Doce: bolachinhas do Advento


Nesta altura do ano, costumo fazer vários tipos de bolachas, misturá-las e partilhar com os amigos... mas as minhas favoritas são as de gengibre... deixo-vos a minha receita:

 

bolachas.JPG

Bolachinhas do Advento

 

Ingredientes:

  • 250g de farinha de trigo com fermento
  • 120g de óleo de côco (amolecido)
  • 100g de açucar
  • 1 ovo
  • 1 colher de sobremesa de gengibre em pó

 

Preparação:

Forrar um tabuleiro com papel vegetal.

Bater o açucar com o óleo de côco até obter um preparado homogéneo, adicionar o ovo e misturar bem, seguidamente, juntar a farinha e o gengibre. Amassar bem e deixar repousar cerca de 30 minutos (à temperatura ambiente).

Após o tempo de repouso, estender a massa com o rolo sobre uma superfície plana e enfarinhada, até obter 0,5cm de espessura. Cortar as bolachas com cortadores alusivos à quadra natalícia e distribuí-las pelo tabuleiro (mantendo uma distância de cerca de 1cm entre cada bolacha).

Levar ao forno pré-aquecido, a 190ºC, durante cerca de 10 minutos (vigiar a cozedura).

Retirar as bolachas do forno, deixar arrefecer e depois descolar do tabuleiro e guardar em frascos de vidro (para se manterem crocantes)

Nota: esta receita rende cerca de 30 bolachinhas.

 

18
Dez19

Natal Doce: bolo-rei


Bolo-Rei.JPG

Bolo - rei

 

Ingredientes:

  • 700g de Farinha Tipo 65
  • 11g de fermento de padeiro seco (1 saqueta de Fermipan)
  • 1dl de água fria
  • 150g de açúcar
  • 150g de manteiga
  • 3 ovos
  • 100g de frutos secos (pinhões, nozes, amêndoas) partidos
  • 50g de passas
  • 1 laranja, raspa do vidrado
  • 0,5dl de vinho do Porto (ou 4 colheres de sopa)
  • Amêndoas inteiras, nozes e frutas cristalizadas para decorar. 
  • Geleia (a gosto) para pincelar

 

Preparação:

Juntar a farinha, o fermento, a água, o açúcar, a manteiga (amolecida), os ovos e a raspa de laranja.
Amassar bem, até obter uma massa macia e homogénea e deixar levedar (em lugar quentinho) cerca de 1h30m.
Findo este tempo, acrescentar os frutos secos, as passas e o vinho do Porto, envolver bem, moldar o bolo (o buraco deverá ser largo)
Colocar num tabuleiro forrado com papel vegetal (untado), tapar com um pano e deixar levedar por mais 3h30m.
Pincelar o bolo com geleia e decorar com os frutos secos e as frutas cristalizadas. 
Levar ao forno, pré-aquecido a 160ºC, por cerca de 25 minutos (verificar a cozedura a partir dos 20 minutos)
Retirar do forno e voltar a pincelar com geleia.

Nota: se o bolo começar a ganhar muita cor, antes de estar cozido, cobrir com papel de alumínio.

Sugestão: se não pretender consumir o bolo no dia da confecção, deixe arrefecê-lo e envolva-o em película aderente (como na foto) para manter a sua frescura. 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub